🌷 NOS LÁBIOS DO SILÊNCIO.

“… Há um ponto de compreensão onde você não tem a menor ansiedade em trabalhar e tampouco em querer parar de trabalhar. Num certo nível você para de trabalhar. Num outro, você continua trabalhando, mas trabalhar deixa de ser chamado de “trabalho”. E é neste ponto que as contas vão sendo pagas sem a sua intervenção.

Na verdade, um dos frutos da Meditação, da presença do Silêncio na nossa vida, é a criatividade. Quanto mais presença silenciosa, mais criatividade transborda e, de repente, a vida está acontecendo, tudo está circulando sem que você tenha a menor noção de “trabalho”.

Entra a noite, amanhece o dia, e você nem percebeu. Qualquer sacrifício é feito, como se você estivesse ausente. Isso vem do Ser. Não é a sua vontade que está sendo realizada, é uma realização do Ser através de você. Um fazer sem fazer. Uma flauta nos lábios do silencio soa cores inimagináveis. Aliás, sacrifício quer dizer isso: “ofício sagrado”, imerso no mundano.” – Satyaprem –

Via: Turbosound